Boa tarde, hoje é dia 28/11 e são
Em Taió, +
Homem que fingiu ser mulher para matar namorado da ex é condenado em Rio do Sul

Publicado em: 07/04/2022 18:47:15 - Por Luis Carlos Radar
PUBLICIDADE

Os jurados que compuseram o Tribunal do Júri de Rio do Sul, realizado na tarde desta quarta-feira (07) para decidir o futuro de Mateus de Campus Florêncio, ficaram convencidos de que o sentimento de ciúme, quando obsessivo, pode matar.


O enredo de um triângulo amoroso, parecido com filme de suspense, terminou na morte de Alexandre dos Santos, em 2020, e a condenação de Mateus pelo crime, durante esta semana. Ele teve decretada a pena de 18 anos e oito meses de reclusão, em regime inicialmente fechado, tendo negado o direito de recorrer em liberdade.


A defesa, que alegou legítima defesa, informou que vai recorrer da decisão. Mateus segue no Presídio Regional de Rio do Sul.


Segundo a denúncia do Ministério Público (MP), no dia 19 de outubro de 2020, Mateus, que na época tinha 20 anos, se apoderou do celular da ex-namorada e viu que ela mantinha conversas, supostamente de cunho "amoroso" com a vítima, Alexandre dos Santos, que tinha 32 anos. Enciumado, conforme o MP, o denunciado passou a trocar mensagens com Alexandre se passando pela ex.


"Foi assim que, no dia dos fatos, de posse do celular dela, o processado encaminhou mensagem à vítima combinando um encontro entre eles na residência dela, de modo a emboscá-lo", ressalta o promotor, Felipe Neiva, responsável pelo caso.


Segundo ele, o réu colocou o "plano delitivo" em prática se apossando de uma arma de fogo para ir ao encontro de Alexandre. "Quando a vítima entrou em um beco, que dava acesso à residência dela, ele foi surpreendido pelo denunciado que o agrediu com socos e chutes. A vítima conseguiu se soltar, correndo para a via pública, mas caiu novamente no chão", conta o promotor. Os fatos ocorreram às 18 h, na Estrada Blumenau, no bairro Bela Aliança, em Rio do Sul.


No momento em que a vítima caiu, Mateus teria efetuado os disparos. "Ele sacou a arma de fogo tendo desferido no mínimo um tiro pelas costas e nas costas do ofendido, fugindo em seguida", ressalta ainda a promotoria.


A vítima ficou caída no local dos fatos, socorrida por populares que acionaram a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros. Mas Alexandre acabou morrendo no Hospital Regional por complicações do ferimento.


"O crime foi praticado por motivo fútil visto que o denunciado realizou a conduta movido por ciúmes do suposto relacionamento da vítima com sua ex-companheira. O denunciado também armou emboscada para ceifar a vida do ofendido se passando pela ex-namorada e surpreendendo o ofendido quando ele chegou no beco", pontuou ainda, Felipe Neiva.


Alegando legítima defesa, advogada de Mateus vai recorrer


Durante a audiência, alguns pontos foram divergidos por testemunhas. A suposta ex-namorada de Alexandre alegou que não mantinha um relacionamento com a vítima, que ele mandava mensagens para ela e fazia investidas sem que ela respondesse positivamente.


Também alegou na oitiva que eles têm um filho e que Mateus seria um bom pai, que nunca foi agressivo. A suposta ex-namorada também disse que o celular, na verdade, era do próprio Mateus e ela vinha usando. Ele teria tomado de volta, antes dos fatos que sucederam o crime.


Como o próprio acusado confessou o delito durante as audiências, a alegação das advogadas dele foi que ele agiu por proteção. A defesa também ressaltou que a vítima tinha várias passagens por outros crimes, mas foi rebatida, em seguida, pelo promotor, que disse que o julgamento em questão não era este, mas sim, a morte de Alexandre, a despeito do que ele tenha feito.


A advogada de Mateus, Maria Nelciane da Costa Alberti Goedert, disse à reportagem que a defesa irá recorrer por não concordar com a sentença, já que entende pela existência da legítima defesa.


"Mas sobretudo para ver reformada a pena aplicada pelo ilustre sentenciante, que, no meu entender, foi exacerbada e não observou as regras da individualização da pena", pontua a advogada.


Comarca de Rio do Sul já realizou três sessões de júri popular


Após mais de oito horas de audiência, o juiz Cláudio Márcio Areco Júnior, que presidiu a sessão, anunciou a sentença. Segundo o magistrado, este é o terceiro júri realizado na comarca de Rio do Sul em 2022, com previsão de outras três sessões até o dia 5 de maio


"A previsão é que até o final do inverno de 2022 tenhamos todos os júris aptos a serem apresentados ao Conselho de Sentença com efetivação das sessões de julgamento, retomando situação que se vivenciou até o início da Pandemia Covid-19", prevê o juiz.


A Tribuna do Vale

Compartilhe o link:
Radar Alto Vale © Copyright 2013 - 2015 - Radar Alto Vale não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos citados.
A opinião dos colaboradores e dos leitores não necessariamente representa a opinião do Radar Alto Vale.WLive! Soluções Web